Setembro Amarelo

Setembro Amarelo

Todos os anos, cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio em todo mundo. Para cada morte, há muito mais pessoas que em algum momento já tentaram se matar. O suicídio ocorre durante todo o curso de vida e foi a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos em todo o mundo. Ao longo dos anos, o suicídio se tornou uma tragédia que afeta famílias, comunidades e países inteiros, tornando-se um grave problema de saúde pública.

Esse problema, pode ser evitado em tempo oportuno, com base em evidências, com intervenções de baixo custo e com uma atenção orientada por quem quer ajudar ao próximo.

Os sintomas que podem levar a esse quadro final, se tornou um problema de dimensões mundial e ações com estratégias multisetoriais com foco na prevenção, tem se tornado no mundo e aqui no Brasil, um ponto a favor da conscientização acerca do assunto, a partir da campanha sazonal do Setembro Amarelo.

O movimento surgiu em 1994, quando o americano Mike Emme, filho do casal Dale Emme e Darlene Emme, se suicidou com apenas 17 anos. Mike era conhecido por sua personalidade caridosa e por saber muito sobre mecânica. Sozinho, o garoto conseguiu restaurar um Mustang 68 e pintou o carro todo de amarelo. Porém, aqueles que conviviam com Mike não viram os sinais de angústia. No dia do funeral do jovem, uma cesta de cartões com fitas amarelas presas a eles estava disponível para quem quisesse pegá-los. Os cartões e fitas foram feitos por amigos de Mike e possuíam uma mensagem: “Se você precisar, peça ajuda”. Em pouco tempo, os cartões se espalharam pelos Estados Unidos e começaram surgir mais e mais cartões com pedidos de ajuda. Um professor de outro estado americano havia recebido um dos cartões de uma aluna, pedindo por ajuda. Por conta da grande repercussão do caso, a fita amarela foi escolhida como símbolo do programa que incentiva aqueles que têm pensamentos suicidas a buscar ajuda. Em 2003 a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou o dia 10 de setembro para ser o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio e o amarelo do Mustang de Mike é a cor escolhida para representar esta campanha.

No Brasil a campanha Setembro Amarelo teve início em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).
Com o objetivo de chamar a atenção da população para a necessidade de impedir o suicídio, as primeiras atividades da campanha aconteceram na capital do país, Brasília, e no ano seguinte outras regiões também aderiram ao movimento. O objetivo do Setembro Amarelo é reforçar a importância do diálogo, quebrando o tabu sobre o assunto e ajudando quem está mais vulnerável.

Na internet, mensagens sobre o Setembro Amarelo são divulgadas amplamente nas redes sociais do CVV e divulgadas pelos apoiadores da campanha.  Além disso, vários edifícios públicos e monumentos no Brasil costumam ficar iluminados durante o mês de setembro, com o amarelo da campanha.

Quando se suspeita que alguém pode estar com pensamentos suicidas, o mais importante é demonstrar amor e empatia por essa pessoa, tentando entender o que está acontecendo e quais os sentimentos associados. Por isso não se deve ter medo de perguntar para a pessoa se ela está se sentindo triste, deprimida e, até se está pensando em suicídio.
Depois deve-se procurar um profissional qualificado, como um psicólogo ou psiquiatra, para tentar mostrar a pessoa que existem outras soluções para o seu problema. Uma boa opção é ligar para o Centro de valorização da vida, através do número 188, que se encontra disponível 24 horas por dia.

Como empresa acreditamos que esse é um assunto sério e relevante. Queremos trazer nossa contribuição e unir forças para que mais e mais pessoas possam ser impactadas por informações acerca do assunto.

Tristeza, angústia, depressão, pensamentos suicidas, não são sintomas bobos que não requerem atenção. Se você estiver sentindo assim: “Falar é a melhor solução